A importância da opinião.

Postado por  Fernando em 13, janeiro, 2011  •  Comentários (4334)  • 

A pesquisa e o estudo da opinião pública em nossos dias atravessam e ultrapassam as linhas que tradicionalmente separam os departamentos das ciências sociais e podem ser encontradas praticamente em todas as suas disciplinas. Estatísticos, psicólogos, jornalistas, publicitários e pesquisadores de mercado prestam agora considerável atenção ao problema da determinação do estado da opinião pública quanto a assuntos específicos. Vários tipos de amostragem e aplicação de inquéritos estão sendo usados. Observações minuciosas e prudentes tem sido complementadas por métodos precisos de tomada de opinião. Neste campo são dignas de nota as atividades do Instituto Americano de Opinião Pública e da revista Fortune.

Estudos sobre atividades de grupos e pressão, sobre propaganda e sobre os instrumentos de comunicação, bem como pesquisas psicológicas quanto à gênese das opiniões individuais, vão esclarecendo cada vez mais o processo de formação da opinião. Em virtude de tantos fatores diferentes influenciarem a opinião pública, este campo atrai um número desusadamente grande de estudiosos.

A manipulação e o controle da opinião pública sempre interessaram a muita gente. Antes da Grande Guerra, obteve-se considerável progresso na pesquisa publicitária e desde 1919 o interesse pela manipulação da opinião pública ampliou-se, passando a compreender o estudo, não só da propaganda comercial, mas também de qualquer outra espécie de propaganda. Provavelmente nenhum aspecto desse assunto desperta mais interesse do que o problema de como obter o apoio da opinião pública.

O advento das novas formas de autocracia deu origem a novas discussões sobre o correto papel da opinião pública na vida do país. Formularam-se, cada vez mais, perguntas deste tipo: a opinião pública, no sentido de opinião das massas, é um guia digno de ser seguido? Sobre que assuntos se há algum, tem ela competência para exprimir uma opinião? Onde deve ser traçado o limite entre os assuntos sobre os quais ela é e sobre os quais ela não é competente para emitir um julgamento? Estas perguntas atingem as raízes da teoria da democracia. A maioria dos defensores do sistema de visa democrático acentua a importância de uma opinião pública informada e inteligente. A questão de como melhorar o papel da opinião pública nos negócios públicos tem sido o ponto de partida de muitos estudos. Os educadores particularmente, têm-se preocupado com o problema. Na mente de muitos, o problema fundamental da opinião pública é um problema de educação.

Um dos aspectos mais perturbadores de todo o assunto da opinião pública é a crescente intensidade dos conflitos de opinião; são as divergências cada vez maiores entre os grupos; é a ausência de premissas e objetivos de aceitação geral. A guerra, seja ela entre povos, raças ou classes, é um reflexo deste estado de opinião. O problema da redução das diferenças de opinião entre as nações e entre as classes é, em grande parte, um problema psicológico, o da reconciliação e harmonização das diferenças de opinião. Para consegui-las, é necessário, antes de tudo, descobrir por que os estados de opinião são o que são, quais as suas verdadeiras causas. Algumas vezes essas causas são imaginárias, baseadas em concepções erradas e em incompreensões. Quando quer que isso aconteça, as dificuldades podem ser aprimoramento educacional dos grupos. Erguem-se, entretanto, muitas dificuldades e obstáculos no caminho deste processo, e devem-se envidar todos os esforços para removê-los.

Muitas vezes as diferenças e entrechoques de opinião baseiam-se não em um mal-entendido, mas em interesse e objetivos em conflito. Quantidade alguma de informação ou esclarecimento puramente intelectual pode, sem auxílio, modificar o coração humano, remover o egoísmo individual ou de grupo, reconciliar as divergências fundamentais na apreciação filosófica da vida. É preciso um remédio mais forte. As vontades devem ser modeladas como as mentes. Um egoísmo esclarecido pode, de fato, ser a pior espécie de egoísmo, porque ele é o egoísmo posto em prática, como os recentes acontecimentos na Europa e através do mundo estão demonstrando. Um dos problemas mais difíceis no campo da opinião pública é reconciliar as vontades dos homens, bem como suas opiniões.

Embora a expressão opinião pública possa referir-se a qualquer coleção de opiniões individuais, o fenômeno significativo de nossos tempos é, entretanto, a crescente importância dos grandes públicos. Por motivos já enumerados anteriormente, a área dos contatos humanos e do intercâmbio social tem-se expandido tremendamente. É por isso que as Relações Públicas se tornaram tão importantes. Nosso comportamento individual e institucional afeta públicos cada vez maiores. Nossos problemas de Relações Públicas envolvem não só os nossos empregados, acionistas e fregueses, mas estendem-se muito além, incluindo as massas. O sentido de opinião pública não se restringe, necessariamente, aos públicos de massas, mas os públicos de massas dão, realmente, uma nova dimensão ao nosso problema.

Publicação original: CHILDS, Harwood L.

 

Artigos dos leitores.

Sobre nós.

Nessa nave chamada Terra, o povo não se conforma mais em ser conduzido, ser meros passageiros. Todos, usando a tecnologia cada vez mais fácil e próxima, temos consciência de que podemos, de alguma forma fazer parte da tripulação. leia mais...